Notícias

Campanha para atualizar a carteirinha de vacinação começa nesta segunda-feira

0

Crianças e adolescentes que estão com a carteirinha de vacinação desatualizada poderão procurar qualquer posto de saúde para receber as doses necessárias gratuitamente. Isso porque começou nesta segunda-feira (11) a Campanha Nacional de Multivacinação.

O incentivo, que é realizado todos os anos pelo Ministério da Saúde, dá a chance dos pais de todo o Brasil levar seus filhos até o dia 22 de setembro para colocar a carteirinha de vacinação em dia.

As vacinas oferecidas são aquelas que se encontram no calendário de imunizações destinadas a crianças e adolescentes de até 15 anos. Os pais devem levar, além da carteirinha de vacina, um documento dos filhos para receberem a proteção. Veja quais vacinas estarão disponíveis.

Para menores de 7 anos
BCG, Hepatite B, VIP, VOPb, rotavírus humano, pneumocócica 10 valente, Meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral, tetra viral ou tríplice viral + varicela (atenuada), DTP, Hepatite A, e varicela.

Para crianças entre 7 e 15 anos
Hepatite B, febre amarela, tríplice viral, dT, dTpa, Meningocócica C conjugada, HPV e varicela.

Entenda cada uma das vacinas
BCG – Sua função é prevenir a tuberculose. A imunização é aplicada ao nascer, mas também pode ser oferecida para crianças até 5 anos que ainda não receberam.

DTP – Conhecida como tríplice bacteriana, a proteção serve contra difteria, tétano e coqueluche é oferecida em duas doses: a primeira aos 15 meses e a segunda aos 4 anos.

Hepatite A – Vacina administrada em crianças de 15 a 23 meses.

Hepatite B – Administrada ao nascimento, a proteção contra a doença pode ser tomada até um mês de idade do bebê.

HPV – A vacina contra o vírus do papiloma humano é aplicada em meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14. São duas doses que garantem a proteção completa, respeitando um intervalo de seis meses entre elas.

Febre amarela – Crianças a partir de nove meses, residentes ou viajantes nas áreas com recomendação devem tomar o imunizante.

Meningocócica C conjugada – Protege contra meningite, a vacina deve ser aplicada a partir dos três meses de idade, com duas doses, com intervalo de 60 dias entre elas, além de uma dose de reforço, preferencialmente aplicada aos 12 meses do bebê.

Penta – A proteção é 5 em 1: a tetravalente que age contra difteria, tétano, coqueluche e meningite, e a vacina contra hepatite B. No entanto, ela é dividida em três doses, que devem ser aplicadas em crianças entre dois meses e 7 anos de idade, com intervalo de dois meses.

Pneumocócica 10 valente – Essa é a proteção contra 70% das doenças graves – pneumonia, meningite e otite – provocadas por dez sorotipos de pneumococos, conforme a Sociedade Brasileira de Imunizações. A aplicação acontece depois dos dois meses de idade, sendo duas doses, sendo a segunda depois de 60 dias, além de uma dose de reforço, de preferência quando completarem 12 meses.

Rotavírus humano – As doses podem ser aplicadas a partir de um mês e 15 dias de vida. São duas doses, com intervalo de dois meses entre elas.

Tetra viral ou tríplice viral + varicela (atenuada) – Essa é apenas para quem já recebeu a primeira dose da vacina tríplice viral. Deve ser aplicada em crianças entre 15 meses e 4 anos de idade.

Tríplice viral – Vacina protege de sarampo, caxumba e rubéola e deve ser tomada aos 12 meses, a primeira dose, e a segunda dose aos 15 meses.

VIP e VOPb – A Vacina Inativada da Poliomelite (VIP) e a Vacina Oral da Poliomelite Bivalente  (VOPb) tem o mesmo modelo de vacinação: também são  divididas em três doses cada uma delas, com intervalo de dois meses, e oferecidas a crianças de dois meses a cinco anos.
Fonte: Saúde – iG

AMICO



Cartões novos oferecem dinheiro de volta em vez de milhas aéreas

0

Para conquistar novos clientes, algumas empresas de cartão de crédito estão oferecendo novas vantagens em seus programas de fidelidade.

No lugar das tradicionais milhas, as novatas do setor oferecem crédito de volta na fatura: os chamados “cash back”.

O Nubank, por exemplo, já afirmou que deve permitir que clientes usem pontos para “apagar” gastos. Para participar do programa, o cliente precisará pagar cerca de R$ 200 por ano.

Já no Banco Original, o cliente recebe um percentual dos gastos na fatura do cartão. Cada ponto equivale a R$ 1 de crédito na fatura, mas o percentual gasto que vira pontos varia de 0,25% a 1,75%, conforme o cartão e os gastos.

“O brasileiro sofre toda vez que vai resgatar milha, mas já incorporou esse sofrimento”, afirma Marcos Lacerda, diretor de marketing do Original.

No entanto, segundo informações da Folha de S.Paulo, estima-se que participantes de programas de milhagem possam recuperar até 10% dos gastos no cartão com bilhetes aéreos. O máximo que os programas de “cash back” brasileiros devolvem equivale a 2% dos gastos mensais.

Ele estima que participantes de programas de milhagem possam recuperar até 10% dos gastos no cartão com bilhetes aéreos. O máximo que os programas de “cash back” brasileiros devolvem equivale a 2% dos gastos mensais.

Sistema



Cunha pode ir à Câmara apenas para se defender, diz Barroso

0

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, rejeitou o pedido feito pela defesa do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), sobre a livre circulação do parlamentar na Casa. Barroso considera, porém, que o parlamentar pode ir à Câmara se defender na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no processo de cassação ao qual responde. Na segunda-feira (20), a defesa de Cunha pediu ao STF que o deputado pudesse se defender pessoalmente no processo que pede a cassação de mandato do parlamentar.

Segundo o ministro, o tipo de ação usada pela defesa para questionar o tema, um habeas corpus, não foi a correta. No despacho de ontem (23), o ministro diz que decisões anteriores do STF não permitem que o habeas corpus seja usado para questionar “ato de ministro, Turma ou do Plenário do Tribunal”. De acordo com o STF, a defesa deve apresentar recursos na própria ação que tramita na Corte sobre o afastamento do deputado.

Para o ministro, Cunha pode exercer o direito de se defender e lembrou ocasião em que o deputado compareceu ao Conselho de Ética da casa. “Embora não se trate propriamente de processo de natureza penal, não seria fora de propósito o acusado querer exercer pessoalmente o seu direito de defesa, tal como efetivamente ocorreu perante o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar”, diz a decisão. “Coisa bem diferente é pretender transitar livremente pelas dependências da Casa Legislativa para abordar parlamentares e, assim, alcançar objetivos que o plenário do Supremo Tribunal Federal, ao referendar a medida cautelar na AC 4070, justamente buscou evitar”, acrescenta Barroso na decisão, ao citar a ação que levou ao afastamento de Cunha.

JFS Contábil



Frente a Moro, Lula não responde a várias perguntas

0

O ex-presidente Lula não respondeu a todas as perguntas durante audiência nesta quarta-feira, 13, frente a frente com o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato. O petista foi interrogado em ação penal sobre supostas propinas da Odebrecht.

A audiência de Lula durou mais de duas horas. O primeiro a questionar o ex-presidente foi Moro. Em seguida, vieram o Ministério Público Federal e as perguntas da defesa.

Após o interrogatório do ex-presidente, Moro passou a ouvir Branislav Kontic, ex-assessor do ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/;Governos Lula e Dilma).

Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro sobre contratos entre a empreiteira e a Petrobrás. Segundo o Ministério Público Federal os repasses ilícitos da Odebrecht chegaram a R$ 75 milhões em oito contratos com a estatal. O montante, segundo a força-tarefa da Lava Jato, inclui um terreno de R$ 12,5 milhões para Instituto Lula e cobertura vizinha à residência de Lula em São Bernardo do Campo de R$ 504 mil.

Na semana passada, Palocci rompeu o silêncio, fez um relato devastador e entregou o ex-presidente, a quem atribuiu envolvimento com o que chamou de ‘pacto de sangue’ com a empreiteira Odebrecht que previa repasse de R$ 300 milhões para o governo petista e para Lula.

Além do ex-presidente e de Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci, também respondem ao processo o próprio ex-ministro, o advogado Roberto Teixeira, compadre de Lula – que será interrogado na quarta-feira, 20 -, o empreiteiro Marcelo Odebrecht e outros três investigados.

Lula já foi condenado na Lava Jato. Em julho, Sérgio Moro aplicou uma pena de 9 anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro ao petista no caso tríplex.

Há ainda, sob a tutela da Lava Jato no Paraná uma terceira ação penal. O ex-presidente é acusado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em obras do sítio de Atibaia, no interior de São Paulo. Este processo poderá colocar Lula e Moro frente a frente pela terceira vez na Lava Jato.

RÁDIOCOM



OAB pede a Temer correção da tabela de imposto de renda

0

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) enviou ao presidente Michel Temer ofício em que pede a correção integral da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de acordo com a inflação. A entidade quer a revisão dos valores do IR para evitar que contribuintes isentos passem a pagar o tributo, já que o reajuste salarial não acompanha a atualização da tabela.

Segundo o último levantamento do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco), a não correção da tabela nos mesmos parâmetros da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) resultou em uma defasagem média acumulada de 83%, desde 1996. “A inexistência de correção da referida tabela, de acordo com a inflação, culminou na redução da faixa de imunidade”, diz trecho do documento entregue ontem (24) no gabinete presidencial.

Para o presidente da OAB, Carlos Lamachia, a revisão do IR pode favorecer a questão fiscal e o desenvolvimento social no país. “[O reajuste] traz ainda como benefícios a desoneração da folha de pagamento e o estímulo à economia e ao mercado consumidor interno”, argumenta.

O ofício diz ainda que a correção da tabela do imposto de renda em percentual inferior à inflação fere princípios constitucionais, o que levou a entidade a ingressar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando a correção da tabela.

Na semana passada, Temer recebeu de representantes das centrais sindicais pedido de redução da defasagem na tabela do imposto de renda. Na ocasião, o presidente disse que debateria o assunto com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.
Saiu no Terra.

Martelinho de Ouro



Cunha e Temer: a dupla mais rejeitada do Brasil

0
Brasília - O vice-presidente Michel Temer recebe do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, a Medalha do Mérito Legislativo 2015 (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Levantamento realizado pelo Instituto Ipsos entre os dias 2 e 13 de junho mostra um cenário mais do que ilustrativo sobre os dois principais responsáveis pela ruptura democrática vivenciada no Brasil atualmente.

A dupla formada por Michel Temer e Eduardo Cunha, presidente interino e presidente afastado da Câmara, é a mais rejeitada do Brasil na política. Segundo o Ipsos, a rejeição a Temer chega a 70% dos brasileiros, enquanto Cunha é rejeitado por 79% da população.

O levantamento também revela que a classe política foi dizimada pelos escândalos de corrupção decorrentes da Operação Lava Jato, pois todos os presidenciáveis tradicionais têm rejeição superior a 50%. É o caso de Marina Silva (56%), Aécio Neves (63%), Lula (68%), Geraldo Alckmin (55%) e José Serra (55%).

Clique aqui e leia na íntegra o levantamento do Ipsos.

RÁDIOCOM