Notícias

Moro reafirma que não será candidato à Presidência em 2018

0

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, negou nesta terça-feira a possibilidade de ser candidato à Presidência da República no ano que vem, e argumentou não ter perfil para a função.

“Já disse mais de uma vez e reitero que não serei candidato”, disse o magistrado durante seminário sobre a Justiça realizado pela rádio Jovem Pan em São Paulo.

Moro, que não tem filiação partidária, tem tido o nome citado em pesquisas de intenção de voto para o pleito do ano que vem. No último levantamento do Datafolha, realizado em junho, No cenário que seu nome aparecia, Moro ficou em segundo lugar, atrás apenas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e empate técnico com a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC0-RJ)).

O juiz argumentou, no entanto, não ter perfil para a função, acrescentando que optou se dedicar à magistratura.

Moro também elogiou a política, afirmando ser uma das profissões “mais belas”, embora tenha reconhecido que há, muitas vezes, uma visão pejorativa dos políticos.

Martelinho de Ouro



Maia quer aprovar projetos da agenda econômica para melhorar situação do País

0
Brasília - Após Café da Manhã na Residência Oficial da Câmara dos Deputados, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia falam com a Imprensa (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Após reunião com a equipe econômica e líderes da base, o presidente Rodrigo Maia defendeu que a Câmara dos Deputados priorize três projetos da agenda econômica para melhorar a situação fiscal do governo, enquanto o Planalto busca votos para aprovar a reforma da Previdência: a MP 777/17, que muda o cálculo das taxas de juros para contratos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); um novo projeto que propõe a reoneração da folha de pagamento; e a MP 783/17, que permite o parcelamento de dívidas com a União de pessoas físicas pessoas jurídicas, o Refis.

JFS Contábil



Deputadas discutem com Maia PEC que cria cota para mulheres no Legislativo

0

A bancada feminina da Câmara dos Deputados reúne-se com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para pedir que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 134/2015, que institui cotas para mulheres no Legislativo, seja colocada em pauta. A PEC 134 passou pelo Senado, já foi aprovada em duas comissões da Câmara e aguarda, desde o ano passado, votação pelos deputados em plenário.

A estratégia das deputadas é aproveitar o contexto de discussão em torno da reforma política para aprovar a mudança constitucional que garantiria a reserva de 10% das vagas das câmaras de vereadores de todos os municípios, assembleias legislativas estaduais e da Câmara Federal para candidatas mulheres. O objetivo é aumentar gradativamente a representação feminina em todos os níveis do Poder Legislativo.

Segundo a coordenadora da bancada feminina e relatora da PEC, Soraya Santos (PMDB-RJ), além de conversar com o presidente Maia, as deputadas estão se reunindo com representantes de diferentes partidos para garantir a adesão e apoio à proposta. Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição, são necessários pelo menos 308 votos favoráveis no plenário para que seja aprovada a PEC.

Soraya disse que as deputadas conversaram com o presidente da Câmara, que assumiu o compromisso de pautar, mas ressaltou que elas querem mais e querem o apoio de todos os partidos para aprovar a PEC. “A gente está trabalhando partido a partido, mostrando os dados. Para se ter uma ideia, só no levantamento que foi feito no ano passado, nas eleições de vereadores, 14 mil mulheres tiveram zero voto. Elas não votaram nem nelas, elas só colocaram o nome para constar na chapa, para preenchimento da cota de 30%. Isso nos envergonha.”

Apesar de ser considerado uma fraude eleitoral pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o costume de usar mulheres como “laranjas” para ajudar a eleger homens é uma prática comum e, segundo a deputada, afasta candidatas com potencial para a carreira política.

Atualmente, a Câmara tem 55 deputadas na ativa entre os 513 parlamentares que compõem a Casa. No entanto, algumas ascenderam ao cargo depois que deputados assumiram mandatos de prefeito ou se licenciaram por outros motivos. Segundo Saoraya, três estados – Alagoas, Paraíba e Espírito Santo – não elegeram nenhuma candidata. No Senado, são 13 senadoras em um total de 87 parlamentares.

De acordo com a deputada, a maior parte da bancada feminina considera tímida a cota de 10%, quando muitos países, entre os quais o Chile, já aprovaram reservas de 30 a 40%. Soraya destaca ainda que é um passo importante para acabar com a sub-representação feminina no Parlamento, considerado pela bancada um dos problemas da crise política e de representatividade pela qual passa o país.

A relatora da PEC argumenta que a eleição de mais mulheres pode favorecer a aprovação de pautas sociais importantes relacionadas aos direitos humanos. “As mulheres, que têm bandeiras fantásticas na área da saúde, na agrícola e na de direitos humanos. Em todas as áreas, a mulher tem muita representação. Eu costumo dizer que, se eleição fosse por concurso, já teríamos muito mais mulheres, porque, nos concursos, as mulheres se inserem. Por quê? Porque as regras são iguais para todo mundo, as mulheres têm dificuldade é no sistema eleitoral que é muito difícil para elas.”
Saiu na Agência Brasil.

AMICO



Governo não tem votos para aprovar reforma da Previdência, reconhece Maia

0

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reconheceu nesta terça-feira (15) que o governo ainda não possui votos suficientes para aprovar a proposta de reforma da Previdência  no plenário da Casa. A proposta de altera as regras para a aposentadoria está pronta ir a votação desde maio, mas foi mantida em espera devido ao desencademanto do escândalo acerca da delação de executivos da JBS contra o presidente Michel Temer.

Rodrigo Maia disse em entrevista concedida após encontro com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, que a solução “mais definitiva” para a crise econômica no País seria a aprovação da reforma da Previdência. Ainda assim, o presidente da Câmara assentiu que a proposta não deve ser levada à votação até que a base aliada do governo angarie um maior número de apoiadores.

“A mais estruturante… a mais definitiva… aliás, a única solução definitiva é a reforma da Previdência, que hoje nós não temos voto para aprová-la, e eu estou deixando bem claro isso entre os líderes. O ideal era que a gente conseguisse aprovar a reforma hoje. Mas essa maioria não será construída hoje”, reconheceu o deputado.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a reforma previdenciária exige o apoio de ao menos 308 deputados e votação em dois turnos para ser aprovada. O número é bem superior aos 263 parlamentares que apoiaram Temer na votação que definiu a rejeição da denúncia contra o presidente  no início deste mês, por exemplo.

Em entrevista concedida à rádio CBN na semana passada, Rodrigo Maia disse que o plano do governo para aprovar o projeto passava por “organizar a base aliada” até o fim deste mês e votar o pacote de mudanças nas regras para a aposentadoria no início de setembro.

O que muda com a reforma da Previdência
O texto aprovado na comissão especial prevê que as mulheres só poderão se aposentar a partir dos 62 anos de idade, enquanto os homens deverão trabalhar até os 65 anos de idade. Além da idade mínima, é obrigatório que homens e mulheres tenham contribuído para a Previdência Social por pelo menos 25 anos.

Nenhum aposentado receberá menos que um salário mínimo. Para aqueles que estiverem aptos a receber um benefício acima do valor do salário mínimo, o cálculo será o seguinte: paga-se 70% da média de todos os salários recebidos no período em ativa para quem contribuir pelo tempo mínimo de 25 anos. Essa proporção vai subindo gradualmente conforme o tempo de contribuição. Só receberá 100% desse valor quem contribuir por 40 anos.

Quem já está no mercado de trabalho terá que cumprir um pedágio de 30% sobre o período que faltar para completar os tempos de contribuição atuais: de 35 anos para o homem e 30 anos para a mulher.

O governo hoje calcula que 290 deputados votarão a favor da reforma da Previdência, número ainda abaixo dos 308 necessários para a aprovação da matéria.
Fonte: Último Segundo – iG

RÁDIOCOM



Cliente Livelo pode escolher pagar a taxa de embarque com pontos ou dinheiro

0

Com o objetivo de tornar a navegação do usuário ainda mais amigável, a Livelo, programa de fidelidade criado por Bradesco e Banco do Brasil, está lançando novidades em sua agência de viagens online. Agora, o participante pode escolher pagar a taxa de embarque em pontos ou dinheiro.

“Ao dar as opções de escolha ao participante, que agora pode optar em pagar as taxas de embarque com dinheiro ou com pontos, a Livelo deixa a sua agência de viagens ainda mais alinhada com o principal objetivo do programa, que é dar liberdade do cliente escolher aquilo que deseja”, afirma Mauro Bizatto, diretor de Estratégia, Produtos e Marketing da Livelo.

Ainda com foco na melhor experiência dos clientes no resgate de passagens aéreas, a agência de viagens online da Livelo também passou por melhorias em seu canal mobile. Com isso, o cliente navega com maior facilidade e tem mais clareza nas ofertas.

A agência de viagens online da Livelo oferece aos usuários passagens para todo o mundo por mais de 750 companhias aéreas nacionais e internacionais. O usuário ainda pode combinar Pontos + Dinheiro, caso seu saldo em pontos não seja suficiente.

Como utilizar
Para trocar pontos por recompensas na plataforma da Livelo, todos os interessados devem acessar: livelo.com.br.

Sistema



PMP: SETEL realiza hoje (14) Congresso Técnico dos Jogos Escolares

0

A SETEL – Secretaria Municipal de Turismo, Esportes e Lazer está realizando na manhã de hoje (14), o segundo encontro do Congresso Técnico dos JUVEP´s – JUVEP´s – Jogos da Juventude Escolar de Parnamirim.

O primeiro encontro aconteceu na quinta-feira passada (10). É o momento de verificar as inscrições e arrumar a tabela de jogos.

“Está chegando a hora de mostrar, mais uma vez, a força do esporte em nosso município, por meio de atletas de várias modalidades inscritos para os Jogos Escolares”, disse o Secretário da SETEL, Ricardo Wagner.

Hoje estão sendo avaliadas e ajustadas as competições para as modalidades de judô, jiu-jitsu, karatê e handebol.
Veja AQUI os detalhes do cronograma do Congresso Técnico dos JUVEP´s.

Martelinho de Ouro