Na última década, a maioria das companhias aéreas norte americanas e europeias aboliu a primeira classe em voos de longa duração e passou a oferecer apenas uma alternativa em relação à econômica: a executiva, antiga “classe média”, que ficou mais confortável. No entanto, atualmente as empresas de aviação estão estudando a volta de uma classe intermediária entre as duas existentes.

Entre as pioneiras da nova classe estão a Delta Air Lines, Air France, Virgin, Qantas e New Zealand. A novidade traz uma classe diferente da econômica e é um passo além em relação às categorias plus ou conforto, que são uma espécie de “elite” da econômica, com maior espaço entre os assentos, por exemplo.

Durante um evento em Atlanta, o presidente da Delta Air Lines, Steve Sear apresentou o novo Airbus A350, que é configurado em três classes: econômica, Premium Select e Delta One Suite. “Muitas empresas não pagam mais executiva ou primeira para seus funcionários, e a Premium Select é uma forma de atrair o mercado corporativo a pagar um pouco a mais”, disse ele.

As poltronas da Premium Select permitem dormir na diagonal (inclinação de cerca de 20 cm com apoio de pés) e remetem à classe executiva de décadas passadas. Já a Delta One Suite apresenta poltronas que se transformam em cabine privada, com portas. Nos vôos para o Brasil, a companhia seguirá apenas oferecendo as duas classes usuais, com opção de poltronas mais confortáveis para a classe econômica.

A Premium Select, na Delta, ainda oferecerá nécessaire de grife, fones de ouvido iguais aos do Delta One Suite e serviço de bebidas antes da decolagem. Assim como ocorre com as classes executivas, a Premium Select também dá direito a filas prioritárias para check in, raio – X e embarque.
Com informações da Folha de São Paulo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA